Atualizado 3 horas atrás

Dia D aplica 130 mil doses da vacina contra a gripe em Santa Catarina

Crianças e gestantes ainda preocupam Divisão de Vigilância Epidemiológica do Estado-Foto: Patrick Rodrigues / Jornal de Santa Catarina

 

A procura pela vacina contra a gripe mobilizou as unidades de saúde de Santa Catarina no sábado, quando os postos abriram as portas para o Dia D da campanha. Segundo a Diretoria de Vigilância Epidemiológica (Dive), cerca de 130 mil doses foram aplicadas em todo o Estado no mutirão. A campanha de vacinação, que começou em 23 de abril, ocorre em todo o país e segue até 1º de junho, com a meta de imunizar, pelo menos, 90% dos 1.844.225 catarinenses que compõem os grupos prioritários, público-alvo da campanha.

 

Para a Dive, o resultado do Dia D foi satisfatório. Por outro lado, dois grupos ainda preocupam o órgão:

 

– Ficamos bem satisfeitos com o Dia D. Mas as crianças e as gestantes ainda são os grupos que mais preocupam. Vamos buscar intensificar a vacinação entre eles. Ainda mais que nesse período estamos observando o aumento da circulação do vírus nesses casos semana a semana – explica a gerente de imunização da Dive, Vanessa Vieira da Silva.

 

Com pouco mais da metade do tempo de campanha, tanto os grupos de crianças quanto o de gestantes ainda não atingiram 50% da meta. No total, a cobertura da  grupo prioritário em Santa Catarina atendeu a 54,56% da população esperada, segundo o Sistema de Informações do Programa Nacional de Imunizações, do Ministério da Saúde. Entre os municípios, um terço está com cobertura abaixo da média estadual, incluindo os maiores, como Chapecó, Joinville, Florianópolis, Itajaí e Lages. Já Criciúma, São José e Blumenau apresentam índices melhores do que o Estado.

 

Em Florianópolis, como a greve dos servidores municipais só terminou na sexta-feira, havia a preocupação de que o atendimento continuasse comprometido durante o fim de semana. Mas a prefeitura conseguiu oferecer a imunização nas 34 unidades anunciadas. As Unidades de Pronto Atendimento (UPAs) Norte e Sul também retomaram as atividades após o fim do movimento grevista. 

 

Escalas especiais de trabalho já estavam previstas para que os funcionários cumprissem no sábado horas devidas em função das greves de anos anteriores. O Centro de Saúde Pantanal era um dos postinhos que não tinha a vacina disponível durante os dias de paralisação. No sábado, a unidade abriu as portas em tempo integral para reforçar o Dia D e teve grande movimentação.

Fonte: Diário Catarinense
© Copyright 2017 - Rede Nossa Rádio, Todos os direitos reservados Desenvolvido por HZ Soluções