Atualizado 13/04/2018

Visitas para Lula são adiadas por questões de segurança, diz PF

Moro ouvirá Odebrecht sobre e-mails em processo que envolve Lula

As visitas para o ex-presidente da República Luiz Inácio Lula da Silva (PT) foram adiadas desta quarta-feira (11) para quinta-feira (12), de acordo com a Polícia Federal (PF). A mudança, nesta semana, ocorre por questões de segurança, ainda conforme a PF.

 

Quarta-feira é o dia de visitação para os presos que se encontram detidos na superintendência da corporação, em Curitiba.

 

Lula preso

 

Lula está cumprindo a pena de 12 anos e 1 mês de prisão, relacionada à Operação Lava Jato, na superintendência da PF desde a noite de sábado (7).

 

Por ordem do juiz federal Sérgio Moro, responsável pelos processos da Lava Jato na 1ª instância, o ex-presidente está preso em uma sala especial de 15 metros quadrados.

 

O espaço fica no 4º andar do prédio da PF e tem cama, mesa e um banheiro de uso pessoal. Também foi autorizada a instalação de um TV no local.

 

A sala reservada é um direito previsto em lei.

 

Na sala especial de Lula tem uma cama de solteiro, mesa, cadeira e televisão. (Foto:  Igor Estrella)

Na sala especial de Lula tem uma cama de solteiro, mesa, cadeira e televisão. (Foto: Igor Estrella)

 

Pedido negado

 

Na terça (10), a juíza Carolina Moura Lebbos, da 12ª Vara Federal de Curitiba, negou o pedido do senador Roberto Requião (MDB) para que ele e outros políticos visitassem Lula. Ela é a juíza responsável pela execução da pena do ex-presidente.

 

Requião havia solicitado que ele e outros 15 políticos, entre governadores e senadores, visitassem o ex-presidente na tarde de terça-feira. Veja quem são os políticos que queriam visitar Lula.

 

Anteriormente, Moro havia determinado que nenhum privilégio fosse dado a Lula: "Além do recolhimento em Sala do Estado Maior, foi autorizado pelo juiz a disponibilização de um aparelho de televisão para o condenado. Nenhum outro privilégio foi concedido, inclusive sem privilégios quanto a visitações, aplicando-se o regime geral de visitas da carceragem da Polícia Federal, a fim de não inviabilizar o adequado funcionamento da repartição pública, também não se justificando novos privilégios em relação aos demais condenados", informou Sérgio Moro, em documento relacionado à prisão de Lula.

 

Mudança no atendimento

 

A prisão de Lula acabou mudando o atendimento ao público na PF. Além disso, o entorno da Polícia Federal está bloqueado pela Polícia Militar (PM), que reforçou o policiamento na região.

 

São quatro pontos de bloqueios, nos cruzamentos das ruas nos arredores da superintendência. Na parte de fora deste bloqueio, há uma vigília de manifestantes pró-Lula.

 

Eles se encontram no local desde sábado. Na terça (10), cerca de mil pessoas chegaram a participar do protesto, de acordo com a PM.

 

 

Grupo pró-Lula protesta do lado externo ao bloqueio da polícia. Área está fechada desde a noite de sábado (7). (Foto: Isabela Camargo/Globo News)

Grupo pró-Lula protesta do lado externo ao bloqueio da polícia. Área está fechada desde a noite de sábado (7). (Foto: Isabela Camargo/Globo News)

 

Apenas quem tem horário agendado ou que comprovadamente vai utilizar um dos serviços prestados PF é autorizado a passar pelo bloqueio.

 

As pessoas que têm horário agendado na superintendência estão entrando em grupos a cada dez minutos.

 

Ruas próximas à PF de Curitiba estão bloqueadas (Foto: Arte G1)

Ruas próximas à PF de Curitiba estão bloqueadas (Foto: Arte G1)

Fonte: G1.globo.com/pr
© Copyright 2017 - Rede Nossa Rádio, Todos os direitos reservados Desenvolvido por HZ Soluções