Atualizado 17/05/2019

Campanha quer estimular a doação de órgãos em SC

Uma campanha lançada nesta terça-feira (14) pela NSC quer estimular a discussão sobre a doação de órgãos. O movimento "A Vida Com Vida" conclama a sociedade para se sensibilizar com essa causa.

 

Conforme dados da SC Transplantes, Santa Catarina está entre os 10 melhores do mundo em doação de órgãos, e é o melhor do país ao lado do Paraná. Só no primeiro trimestre de 2019 foram 72 doações efetivadas, 20% a mais do que no mesmo período do ano passado, conta o coordenador Joel Andrade.

 

" O que é pra uns perda, é pra outros chamada de esperança."

 

Para marcar o lançamento, o Jornal do Almoço apresentou uma reportagem que mostra histórias de pessoas que salvaram vidas ou simplesmente fizeram a vida do outro mais feliz.

 

Doação do fígado

 

 

Doar significa entregar-se, demonstrar dedicação a uma causa ou pessoa. João Vitor conhece muito bem esta variação do ato de doar. Cinco anos atrás, o menino comovia o estado, e todo o país, enfrentando uma dura batalha. Com câncer no fígado, João precisava urgente de um doador compatível para salvar sua vida e encontrou no anjo chamado Tatiana Lessa a oportunidade de nascer de novo - e fazê-la renascer também.

 

"O melhor presente é participar da vida dele. Eu nasci para ser mãe, meu sonho, perdi seis bebês, tive o Pedro, e ter o João, eu vivi a história com o João, é como se Deus me recompensasse tudo que eu havia perdido, só que infinitamente mais", disse Tatiana.

 

E não tem preço mesmo. Hoje aos nove anos João esbanja saúde e demonstra seu carinho para Tatiana. "Gosto muito de você".

 

Doação de medula

 

A exemplo da Tatiana, a Edilene Silvestre Nunes entendeu muito bem este chamado e doou a medula para a irmã Viviane, com leucemia. "Não tenho palavras e nunca vai ter para agradecer isso", disse a doadora.

 

Edilene chegou num momento em que Viviane já estava quase sem esperanças. "Tu recebe um diagnóstico desses tu acha que vai morrer amanhã".

 

Ela se viu nascendo de novo ao descobrir que a irmã era compatível.

 

"O termo que ela usou no telefone foi, tu é minha doadora, tu vai salvar a minha vida. Aqui ali foi muito forte, eu carrego comigo até hoje", disse Edilene.

 

Viviane foi a primeira a passar por este tipo de transplante em Santa Catarina, há seis meses. "Meu Deus eu amo ela, sou grata, eu devo a minha vida pra ela".

 

Doação de órgãos

 

Para os pais do pequeno Samuel, o movimento foi outro, foi muito além do muito: foi tudo. No momento mais difícil de suas vidas, quando perderam o filho, aos três anos, eles decidiram transformar toda a dor em amor, autorizaram a doação dos órgãos do menino.

 

" Imagina, dizer que existe uma coisa boa diante de uma situação como esta. Mas existe. Eu tenho certeza, tenho convicção de quem foi beneficiado pela passagem do Samuel aqui hoje tá brincando, tá feliz. Um significado muito importante diante de toda essa situação", disse o pai do menino, Ricardo Camargo Vieira.

 

E todos estão convidados a se engajar no movimento e ser vida na vida de alguém. "Todo mundo ganha".

 

 

Fonte: g1.com
© Copyright 2017 - Rede Nossa Rádio, Todos os direitos reservados Desenvolvido por HZ Soluções