Atualizado 05/11/2018

Jogadores do Avaí ficam indignados com arbitragem do empate com o Oeste

O Avaí empatou em 1 a 1 com o Oeste neste sábado, pela 32ª rodada da Série B do Campeonato Brasileiro. No entanto, em vez de comentarem sobre a situação do time na briga pelo acesso à elite, os jogadores deixaram o campo reclamando da arbitragem comandada por Daniel Nobre Bins. É que nos acréscimos do segundo, equipe e torcida reclamaram de uma penalidade máxima sobre Jones Carioca na última jogada do duelo na Ressacada.

 

O mais duro dos jogadores foi o meia Marquinhos. De acordo com M10, ele teve de ter autocontrole para não expressar a revolta de uma outra forma.

 

- Acalmar? Eu estava louco para dar um soco na cara dele, mas como sou profissional não posso. O bandeira disse que não viu, estava bem mais perto do lance e isso é inadmissível. É uma verdadeira vergonha. Tem muita força política e time com dinheiro. Fomos roubados por um safado que veio aqui e nos roubou — disse, em entrevista para a rádio CBN Diário.

 

O zagueiro Betão era um dos mais exaltados.

 

— Isso é coisa séria, é trabalho. A CBF precisa tomar previdência. Mas desse jeito não dá. É o trabalho do ano! — exclamou o zagueiro Betão, alterado pela indignação.

 

O atacante Jones Carioca assegura que houve, sim, a penalidade máxima sobre ele e que deveria ter sido marcada.

 

- O juiz esteve um pouco mal intencionado e depois vai ver na TV: houve a carga. Se não fosse isso eu iria finalizar em gol — falou.

 

O Leão segue em terceiro na classificação da Série B do Campeonato Brasileiro. A equipe azul e branca vai voltar a jogar na sexta-feira. Às 21h30min tem confronto direto diante do Goiás, no Serra Dourada.

Fonte: Diário Catarinense
© Copyright 2017 - Rede Nossa Rádio, Todos os direitos reservados Desenvolvido por HZ Soluções