Atualizado 10/06/2019

Justiça determina que MEC suspenda cortes em universidades federais

A Justiça Federal determinou que o Ministério da Educação (MEC) suspenda os cortes em universidades federais. A decisão é da juíza Renata Almeida de Moura Isaac, da 7ª Vara Federal, na Bahia e foi tomada em uma ação apresentada pelo Diretório Central dos Estudantes (DCE) da UnB. Caso a decisão não seja cumprida no prazo de 24h, haverá uma multa diária de R$ 100 mil. O governo pode recorrer.

 

A juíza cita "diversas ações populares e ações civis públicas" com a mesma solicitação. Ainda segundo a magistrada, "não se está a defender a irresponsabilidade da gestão orçamentária, uma vez que é dever do administrador público dar cumprimento às metas fiscais estabelecidas em lei".

 

Em sua decisão, a juíza argumentou que está "apenas assegurando que os limites de empenho, especialmente em áreas sensíveis e fundamentais segundo a própria Constituição Federal, tenham por base critérios amparados em estudos que garantam a efetividade das normas constitucionais".

 

A magistrada ressaltou que, geralmente, não cabe ao Judiciário interferir em bloqueios determinados pelo Executivo, a não ser quando é "verificada ilegalidade ou exigência que se afaste das normas constitucionais". Também destacou a afirmação do ministro da Educação, Abraham Weintraub, de que pretendia cortar recursos de universidades que não apresentarem desempenho acadêmico esperado e "estiverem promovendo balbúrdia em seus campus".

 

Intimada a se manifestar na ação, a União alegou que foi realizado um contingenciamento em todo o MEC e que não haveria como não atingir as universidades. O governo afirmou que o bloqueio foi "operacional, técnico e isonômico" em relação a todas as instituições, e que os recursos podem ser desbloqueados caso a arrecadação melhore.

Fonte: g1.com
© Copyright 2017 - Rede Nossa Rádio, Todos os direitos reservados Desenvolvido por HZ Soluções